Técnicas de medida da resistividade elétrica em estruturas atmosféricas de concreto convencional

Compartilhe:
Resumo:

Não é raro observar a deterioração prematura das estruturas atmosféricas de concreto armado, como pontes, viadutos, píeres e prédios, devido à corrosão das armaduras. Frequentemente, a corrosão é resultante da presença de teores críticos de íons cloreto no concreto ou do abaixamento do seu pH devido a reações com compostos presentes no ar atmosférico, especialmente o dióxido de carbono (reações de carbonatação) (Glass, 2003). Usualmente, o risco de corrosão é avaliado quando da realização de inspeções visuais periódicas que verificam o estado de conservação das estruturas. Na maioria das vezes, esta inspeção consiste do exame visual detalhado da superfície do concreto. Com base na gravidade das patologias observadas, bem como no conhecimento da agressividade ambiental, das características e do histórico da estrutura, outras técnicas são também aplicadas. Dentre elas, destaca-se a medida elétrica da resistividade do concreto que é associada à medida eletroquímica do potencial de corrosão e/ou da taxa de corrosão das armaduras para a avaliação do risco de sua corrosão.


Referência:
ARAUJO, Adriana de; PANOSSIAN, Zehbour; OLIVEIRA, Kleber Jesus de; PEREIRA FILHO, Mario Leite. Técnicas de medida da resistividade elétrica em estruturas atmosféricas de concreto convencional. Téchne, Ano 22, Ed. 210, p.44-48, set., 2014.


Acesso ao Artigo no site do Periódico:
https://revistatechne.com.br/tecnicas-de-medida-da-resistividadeeletrica-em-estruturas-atmosfericasde-concreto-convencional/

INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.