Efeito do atraso de medição para determinação do teor de umidade na madeira

Compartilhe:
Resumo:

A madeira é um material higroscópico que interage com o meio ambiente até atingir o teor de umidade de equilíbrio. Os procedimentos de teste definidos peças Normas Brasileiras, Americanas e Europeias são similares considerando-se os métodos de secagem. Contudo, os parâmetros como tamanho da amostra, forma e peso são diferentes. Este trabalho analisa o efeito do atraso de tempo decorrido na obtenção do resultado do teor de umidade. Foi utilizada a madeira nativa brasileira “Cambuí-sucupira” (Enterolobium schomburgkii, Leguminosae) e a madeira nativa americana “Pinus” (Pinus sp., Pinaceae). Cada amostra foi separada em dois grupos. O grupo definido como “sem dessecador” (pesado imediatamente após a retirada da estufa, e em intervalos regulares até 30 minutos) e o grupo “com dessecador” (após 60 minutos em temperatura ambiente). Os resultados mostraram que estaticamente o teor de umidade do grupo “sem dessecador” medido no tempo 0,0 é equivalente ao grupo “com dessecador”. O teor de umidade é afetado pela densidade: amostras com baixa densidade são mais sensíveis à absorção de umidade. A quantidade de amostras e a densidade do material afetam os níveis de confiabilidade dos resultados.


Referência:
SOUZA, Cassiano Oliveira de; MACENA, Suelem Maurício Fontes; SILVA, Amanda de Sousa; MIRANDA, Maria José de Andrade Casimiro; YOJO, Takashi. Efeito do atraso de medição para determinação do teor de umidade na madeira. In: ENCONTRO BRASILEIRO EM MADEIRAS E EM ESTRUTURAS DE MADEIRA, 15., 2016, Curitiba. Anais… 9 p.

Logar na BiblioInfo/IPT-DAIT para acessar o texto em PDF. Documento está protegido com senha, solicite ao Atendimento/Biblioteca-DAIT/IPT:
https://escriba.ipt.br/pdf_restrito/173995.pdf






INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.