Economia circular no APL

Compartilhe:
A pesquisadora visitante do IPT Cecilia Emi Yamanaka Matsumura está desenvolvendo um projeto de pesquisa para levantamento das ações e boas práticas de economia circular (EC) do Arranjo Produtivo Local (APL) do setor têxtil de Americana e região, que compreende cinco municípios – um APL é uma aglomeração de empresas e empreendimentos, localizados em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva, algum tipo de governança e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais.
 
Este estudo, que visa mapear a cadeia produtiva do APL, apresentar as conexões estabelecidas e classificar as práticas de economia circular do setor, foi escolhido pela pesquisadora como tema de dissertação dentro do mestrado do Programa Cidades Inteligentes e Sustentáveis da Uninove, com orientação da professora Heidy Rodriguez Ramos e coorientação da pesquisadora responsável pelo Núcleo de Sustentabilidade e Baixo Carbono do IPT, Claudia Echevenguá Teixeira.
 
O projeto vem ao encontro das demandas do setores têxtil e de confecções que estão buscando opções aos desafios na transição para a economia circular e de baixo carbono – afinal de contas, as exigências crescentes do mercado para produtos com menor impacto ambiental estão gerando novos oportunidades de negócios.
Estudo visa mapear a cadeia produtiva do APL têxtil de Americana...
Estudo visa mapear a cadeia produtiva do APL têxtil de Americana…
No entanto, a cadeia de suprimentos do setor têxtil é altamente fragmentada, envolvendo milhares de participantes.
 
“Os setores têxtil e de confecções são dos mais importantes para a economia no Brasil; porém, eles dependem principalmente de recursos não renováveis – incluindo petróleo para fabricar fibras sintéticas, fertilizantes para cultivar algodão e produtos químicos para produzir, tingir e dar acabamento em fibras têxteis”, explica Matsumura. “Decidi iniciar a pesquisa fazendo um ‘recorte’ do APL de Americana e região, buscando um diagnóstico do setor e estudando modelos de transição para economia circular. Os clusters regionais, por meio de redes de empresas, representam uma forma inovadora de obter competitividade e sobreviver no mundo globalizado, tendo sido aplicados em vários países nas últimas décadas, com grande relevância para a economia local”.

ANÁLISE DOS RESULTADOS – Para o levantamento de dados, em uma iniciativa conjunta com o gestor do APL que é o Sindicato das Indústrias de Tecelagens de Americana, Hortolândia, Nova Odessa, Santa Bárbara d´Oeste e Sumaré (Sinditec), foram realizadas nos dias 2, 3 e 7 de fevereiro visitas técnicas a empresas dos diferentes elos da cadeia.
...apresentar as conexões estabelecidas e classificar as práticas de economia circular do setor da cidade do interior paulista.
…apresentar as conexões estabelecidas e classificar as práticas de economia circular do setor da cidade do interior paulista.
A pesquisadora adotou no projeto a abordagem conhecida como estratégias R, por meio de um questionário enviado previamente às empresas e seguido de observação direta in loco, quando possível.

Os chamados R-Frameworks -9Rs (na realidade, 10) – ou seja, recusar, repensar, reduzir, reutilizar, reparar, recondicionar, remanufaturar, reaproveitar, reciclar e recuperar – compõem uma série de estratégias circulares que podem ser implementados em diferentes estágios para o fechamento de ciclo.  Esta abordagem foi escolhida para ficar mais próxima da realidade dos processos fabris que lidam com fluxo de materiais e energia.

O questionário buscou mapear as práticas de economia circular que têm sido adotadas em toda a cadeia de suprimento, categorizando-as e usando como base as estratégias 9Rs, e identificando  também suas conexões e oportunidades para a transição em EC do setor; as entrevistas tiveram foco nas práticas de EC adotadas bem como ações de destaque que a empresa tem adotado, seguidos da visita técnica para evidenciar as ações apontadas.

As entrevistas e visitas técnicas foram finalizadas na primeira quinzena de fevereiro e os próximos passos serão a análise dos dados obtidos.

A parceria com o Sinditec foi fundamental para a realização das visitas técnicas, explica Matsumura: "Fiquei surpresa porque a maioria das empresas da região são familiares, pequenas e médias, e já têm uma boa noção do conceito de economia circular. Eles têm buscado informações por meio de cursos e outros meios, entendendo que se trata de um caminho sem volta para a preservação do planeta".. 
 
“Estou na reta final para finalizar a dissertação, o que abre espaço ao desdobramento de diversas pesquisas futuras, primeiramente utilizando a mesma metodologia, como modelo para mapeamento e aplicação aos demais arranjos produtivos do estado de São Paulo, possibilitando criar uma estrutura de governança e avaliação técnica das competências dos APLs em economia circular que endereça ações voltadas aos ODS", finaliza ela.
 
 

INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.