Revisando conceitos: corrosão em frestas, parte 3

Compartilhe:

Resumo:

A corrosão em frestas consiste em um das formas de ataque mais incidente e menos reconhecida. Este tipo de corrosão localizada é um problema que em geral envolve os metais passiváveis e, portanto, materiais relativamente resistentes à corrosão, como, por exemplo, aços inoxidáveis, titânio e alumínio. Por esta razão, a corrosão em frestas é frequentemente negligenciada, levando a falhas prematuras de estruturas e equipamentos, algumas vezes com consequência catastróficas. Este tipo de corrosão também ocorre com metais ferrosos e outras ligas menos resistentes à corrosão, expostos a ambientes altamente oxidantes ou passivantes. Em todos os casos, a ocorrência deste problema limita-se a frestas muito estreitas que são formadas quando são utilizadas gaxetas, parafusos e arruelas, estando presente também em juntas sobrepostas e depósitos de superfície (deposição de areia, produtos de corrosão permeáveis, incrustações marinhas e outros sólidos), além de outras heterogeneidades superficiais, como trincas, borrifos de solda e ouros defeitos metalúrgicos. Para explorar mais amplamente este assunto , serão apresentados três artigos de revisão bibliográfica cada qual abordando os seguintes tópicos: definição, causas e mecanismo; fatores influenciadores na resistência à corrosão em festas; prevenção, controle e ensaios de verificação da susceptibilidade à corrosão em frestas. O presente trabalho apresentará os principais fatores influenciadores da corrosão em frestas.


Referência:
PECEQUILO, Cristiane Vargas; PANOSSIAN, Zehbour. Revisando conceitos: corrosão em frestas, parte 3. Corrosão e Proteção, Ano 10, n.47, p.18-32, maio/jun., 2013.

INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.