Argila calcinada

Compartilhe:
Um estudo feito no Mestrado Profissional em Habitação com orientação de um pesquisador do Laboratório de Materiais de Construção Civil do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) teve como objeto de análise a correlação entre a composição mineralógica de diversas argilas utilizadas como pozolana no cimento Portland tipo II e seu impacto nas propriedades mecânicas e reológicas do material em questão.

Importantes para a obtenção de menor permeabilidade em compósitos cimentícios com uso de cimento Portland II-Z, utilizados sobretudo em obras subterrâneas, os seis tipos de argila analisados no estudo foram selecionadas de diversas regiões do Brasil e utilizados em iguais proporções na produção das amostras de cimento em laboratório.

Os resultados comparativos mostraram que quanto maior o teor de metacaulinita presente nas argilas, maior a atividade pozolânica; em contrapartida, verificou-se que a presença do aditivo na argila aumenta a demanda de água e, consequentemente, reduz a resistência à compressão do cimento.

“Por norma, os cimentos devem apresentar uma resistência mínima à compressão, necessária para que ele atenda às necessidades de cada aplicação. Cimentos de menor resistência, por exemplo, poderiam não ser adequados para a aplicação em elementos estruturais de prédios, cujo material deve apresentar resistência para suportar o peso próprio dos vários andares“, detalha a mestre em edificações e analista de R&D da GCP Applied Technologies, Ariane Martho.

Segundo ela, para o desenvolvimento de aditivos químicos melhoradores de qualidade de cimento – campo de atuação da GCP – é imprescindível um entendimento completo do clínquer (constituinte principal do cimento Portland) e das adições minerais ou de materiais cimentícios suplementares, motivo pelo qual o estudo de argilas calcinadas passou a ser de grande importância.

“Este estudo é substancial para o desenvolvimento científico e tecnológico e contou com a multidisciplinaridade de geólogos, químicos e engenheiros civis do laboratório do IPT que me auxiliaram. Esta infraestrutura foi essencial para a elaboração do trabalho”, avalia.

Valdecir Angelo Quarcioni, pesquisador do IPT e orientador do estudo, ressalta a importância da aproximação entre instituição de pesquisa e indústria. “Foi possível disponibilizar o capital intelectual da instituição e ampliar a cooperação tecnológica com um importante segmento da indústria da construção civil. Nosso grupo de materiais está mais focado, nos últimos anos, em pesquisas envolvendo a aplicação de subprodutos na construção civil e a durabilidade dos materiais. Esta parceria favorece o intercâmbio de conhecimentos entre as duas equipes de P&D, na perspectiva de novos estudos de desenvolvimento tecnológico”, conclui.

PRÊMIO EM INOVAÇÃO – O Programa Partner da empresa brasileira de cimento InterCement avalia seus principais fornecedores e tem como objetivo incentivar a melhoria contínua dos serviços e produtos fornecidos. Em 2016, foram selecionados 130 fornecedores e premiados os três primeiros colocados das categorias de Fretes, Serviços, Insumos e Materiais e o melhor projeto das categorias Destaques de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, Inovação, Programa Sociais e Gestão de Pessoas.

A GCP Applied Technologies ganhou o prêmio de destaque da categoria Inovação com o projeto \’Desenvolvimento de aditivos para cimentos com elevados teores de adições pozolânicas\’, inserido no contexto do projeto de mestrado da pesquisadora Ariane Martho, defendido no IPT com o título \’Cimento Portland composto tipo Z: estudo comparativo de argilas calcinadas como material cimentício suplementar (MCS)\’.

INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.