Geotecnia ambiental

Compartilhe:
Sete anos dedicados a uma série de projetos que foi iniciada em 2006 e concluída em julho de 2013 pelo Laboratório de Resíduos e Áreas Contaminadas marcam a participação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) na avaliação e na proposição de recomendações referentes à contaminação do solo e da água subterrânea e aos sistemas de proteção contra emanação de gás metano no campus da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH/USP), mais conhecida como USP Leste.

O engenheiro civil e coordenador do projeto no IPT, Scandar Gasperazzo Ignatius, explica em reportagem publicada na edição de abril da revista Fundações & Obras Geotécnicas que em terrenos antes usados para o descarte de resíduos é necessária a sua caracterização geotécnica e ambiental segundo preceitos ditados pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) antes da implantação de um projeto ou sistema de remediação.

A equipe do laboratório do IPT elaborou um modelo conceitual estratigráfico (camada de solos) do subsolo local, baseado em sondagens que haviam sido efetuadas, e executou análises químicas para avaliação de riscos. Quanto à gestão dos gases, a equipe do Instituto não aplicou as metodologias consagradas disponíveis em manuais, mas sim desenvolveu um sistema adequado às características do subsolo do terreno.

Leia abaixo a reportagem na íntegra:

INSCREVA-se em nossa newsletter

Receba nossas novidades em seu e-mail.

SUBSCRIBE to our newsletter

Receive our news in your email.